loader
V I R A D A


COLUNISTAS









clear

São Paulo é a melhor cidade para startups na América Latina, segundo pesquisa internacional

Entre os pontos fortes destacados da capital estiveram a performance destas novas empresas, a disponibilidade de capital e o alcance de mercado

 A cidade de São Paulo foi eleita como o melhor ecossistema para a criação de startups de tecnologia na América Latina. A afirmação é resultado do estudo Global Startup Ecosystem Ranking 2015, realizado pela Compass, companhia desenvolvedora de software para 34 mil startups e empresas de tecnologia, que realiza estudos do setor desde 2012. Startup é uma empresa que nasce com uma ideia inovadora e está em busca de um modelo de negócio rentável.


No contexto global, São Paulo aparece na 12ª posição. No ranking anterior, divulgado em 2012, a cidade estava em 13º lugar. São Paulo foi a única cidade da América Latina classificada pelo estudo, que mapeou os 20 melhores ambientes para o desenvolvimento de startups no mundo. Encabeçam a lista o Vale do Silício, Nova York e Los Angeles, todos nos Estados Unidos. São Paulo está à frente de cidades de países desenvolvidos, tais como Sidney (16ª), Vancouver (18ª) e Amsterdam (19ª). O ranking excluiu cidades e ecossistemas de China, Taiwan, Japão e Coreia do Sul por conta da barreira da língua.


As cidades foram avaliadas segundo os quesitos performance, disponibilidade de capital, alcance de mercado em relação ao PIB local e mercados internacionais, custo e disponibilidade de talentos técnicos e experiência - este último marcado pelo relacionamento com startups de sucesso ou pela presença de mentores ou fundadores com experiência anterior no setor.  


Entre os pontos fortes do ecossistema de São Paulo, estiveram a performance das startups, a disponibilidade de capital e o alcance de mercado. De acordo com a pesquisa, o sucesso de iniciativas como Dafiti, Netshoes e EasyTaxi têm inspirado empreendedores a reconsiderar o tradicional plano de carreira corporativa. 


O Global Startup Ecosystem Ranking 2015 nasceu a partir de entrevistas com mais de 200 empreendedores e empresários de 25 países e em uma pesquisa com 11 mil startups nos últimos cinco meses. 

Confira aqui o estudo na íntegra. 

 

Tech Sampa

Tem como objetivo estimular a inovação e o empreendedorismo tecnológico, a Prefeitura lançou em agosto de 2014 a Tech Sampa, uma política de estímulo à inovação e ao desenvolvimento de startups na cidade de São Paulo.


“Nós estamos lançando hoje uma política abrangente de apoio ao empreendedorismo na área tecnológica. Às vezes uma bela ideia morre por falta de apoio. Teremos um ciclo de negócios para empresas que estão nascendo e precisam de um apoio governamental”, afirmou o prefeito Fernando Haddad na época.


A Tech Sampa irá apoiar a criação e o desenvolvimento de startups nos diferentes estágios de crescimento, promover a competitividade e o desenvolvimento sustentável de produtos e serviços tecnológicos. O intuito é atrair e manter startups com alto potencial de crescimento. A política pretende ainda potencializar o ambiente de interação, troca e cooperação entre os diversos atores, conectando o ecossistema de startups local aos demais polos mundiais de tecnologia.


As ações estruturais da Tech Sampa são coordenadas por programas específicos de fomento comandados pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento, Trabalho e Empreendedorismo (SDTE) e pela Secretaria Municipal de Finanças e Desenvolvimento Econômico (SF), por meio da São Paulo Negócios.


O primeiro deles é o Programa Valorização de Iniciativas Tecnológicas (Vai Tec), que irá apoiar financeiramente projetos inovadores, especialmente aqueles ligados à área de tecnologia da informação e comunicação. Entre as possibilidades de projetos, estão soluções para problemas e desafios relacionados ao dia-a-dia da população da capital. 


De acordo com o 
edital do programa, lançado em dezembro de 2014, até 60 projetos receberão apoio de até R$ 25 mil reais. Atualmente, os projetos inscritos estão em fase de avaliação. O resultado final com os projetos vencedores deverá ser divulgado no dia 18 de agosto, no portal da Agência São Paulo de Desenvolvimento, no site da SDTE e no Diário Oficial da Cidade de São Paulo.


Nesta semana, a Secretaria de Finanças lançou o SP Stars, um programa de iniciativa da Tech Sampa, em parceria com Ecossistema de Startups de São Paulo, que tem o objetivo de facilitar a aproximação de empreendedores digitais experientes com novas startups por meio de um programa de mentoria a fim de ajudá-las no desenvolvimento e crescimento do seu negócio. A primeira edição será realizada no dia 11 de agosto. As
 inscrições estão abertas, as vagas são limitadas, mas o programa será realizado a cada quinze dias, sempre às terças-feiras. 


Em fevereiro deste ano, os organizadores do Prêmio Mulheres Tech em Sampa premiaram cinco projetos que visavam incentivar a atuação de mulheres na área de tecnologia. O prêmio foi realizado pela Rede Mulher Empreendedora (RME), Google For Entrepreneurs, em parceria com a Tech Sampa.


Os cinco projetos receberam um total de R$ 50 mil, sendo R$ 10 mil para cada um. As iniciativas escolhidas tiveram o propósito de estimular o empreendedorismo feminino com foco em tecnologia e são coordenadas por mulheres. Uma nova edição do programa deverá ser promovida neste ano.


Já previsto na criação da Tech Sampa, o Start Sampa - Programa de Pré-Aceleração de Startups oferecerá às empresas em estágio inicial mentoria de negócios com especialistas de mercado, acompanhamento da evolução dos projetos, infraestrutura física para trabalho, acesso a mercado e aproximação com investidores-anjo. O programa deve ter início em 2016.


Por fim, buscando impulsionar a cidade como um centro de inovações tecnológicas, reunindo talentos, empreendedores, empresas de tecnologia, investidores, acadêmicos e especialistas nacionais e estrangeiros, a Tech Sampa, em parceria com a Investe SP - Agência Paulista de Promoção de Investimentos e Competitividade, promoverá a São Paulo Tech Week | SPTW, definida por uma série de eventos de tecnologia realizados por toda a cidade entre 3 e 9 de novembro de 2015.


Outras iniciativa inovadoras

Lançado em março do ano passado pela Secretaria Municipal de Transportes, o Laboratório de Tecnologia e Protocolos Abertos para a Mobilidade Urbana (MobiLab) oferece bolsas de pesquisa para incentivar estudantes dos níveis técnico e superior e profissionais já graduados a desenvolverem estudos e ações que melhorem a mobilidade na capital paulista.


Para embasar o trabalho dos participantes, a administração municipal disponibiliza uma série de dados da São Paulo Transporte (SPTrans) e da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), entre eles os registros dos aparelhos GPS instalados na frota de ônibus da cidade. Dessa forma, os pesquisadores podem criar soluções tecnológicas, como aplicativos, softwares e dispositivos para semáforos e radares, que contribuem para o aprimoramento do transporte e do trânsito.


Alinhado à proposta de fomentar os avanços tecnológicos na área de trânsito e transporte, o MobiLab apoiou o 
1º Startup Weekend Mobilidade Urbana - São Paulo, realizado entre os dias 29 e 31 de maio deste ano. O evento teve como proposta reunir empreendedores, programadores, designers e legisladores que deveriam criar, em menos de 54 horas, uma startup que apresentasse propostas de solução para os problemas de mobilidade da capital.


Além dessas iniciativas, inovação na cidade é estimulada em ações como a instalação de 
120 praças com internet wifi livre, localizadas em todos os distritos da capital, e a criação de 12 Laboratórios de Fabricação Digital (FabLabs). Os laboratórios serão instalados em espaços culturais, oferecerão cursos e serão equipados como impressoras 3D (produzem modelos tridimensionais criados por sucessivas camadas de material), fresadora CNC (usada para cortes ou debastes de materiais com precisão milimétrica, como madeira, MDF, ispor etc), cortadora a laser (corta e grava com precisão papéis, tecidos, acrílicos, madeiras, plásticos etc), fresadora de precisão (capaz de produzir placas de circuitos eletrônicos), e cortadora de vinil (corta com precisão adesivos e papéis de gramaturas variadas).


N
a área de audiovisual e games, a Prefeitura abriu a 
Empresa de Cinema e Audiovisual de São Paulo (SPCine), escritório de desenvolvimento, financiamento e implementação de programas e políticas para os setores de cinema, TV, games e web. Integrado à SPCine, será instalado na cidade um Laboratório de Inovação e Experimentação Audiovisual (LEIA), que oferecerá infraestrutura de ponta, para desenvolvimento de novas ferramentas, produtos, soluções e modelos de negócio para o setor audiovisual.


As novas ideias para a gestão pública são também fomentadas com o programa 
São Paulo Aberta, que visa articular, integrar e fomentar ações de governo aberto na prefeitura. Uma das iniciativas do órgão é o LabProdam, Laboratório da Prodam -  Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação da Prefeitura, espaço para desenvolvimento de ferramentas de tecnologia voltadas ao aprimoramento da participação social e transparência.

Fonte: Divulgação

OUTRAS NOTÍCIAS

2016

clear
NEWSLETTER
Receba notícias e novidades para ajudar você e seu negócio:
ASSINAR

SEGMENTOS
REALIZAÇÃO



Este portal foi desenvolvido pela Objecta internet, uma agência digital engajada com a iniciativa empreendedora e com os resultados online das pequenas empresas.