loader
V I R A D A


COLUNISTAS









clear

Não é mimimi

“MImimi” é uma expressão que ouço muito quando defendo várias causas das mulheres. E para provar que não falo em vão, vou lhe mostrar alguns motivos pelos quais defendo e atuo por ELAS, e acredite, não tem nada de “mimimi”. E sim, muita ação e organização por uma igualdade de direitos.  E lembre-se, contra fatos não há argumentos:

 

-       As mulheres são 52% da população mundial.

-       Existem no mundo 100 milhões, isto mesmo, 100 milhões de meninas que não podem estudar por questões religiosas, veja o vídeo:  http://girlrising.com/ 

-       Mulheres são assassinadas porque querem estudar , exemplo maior desta barbárie é o caso da jovem Malala, paquistanesa ganhadora do prêmio Nobel : http://pt.wikipedia.org/wiki/Malala_Yousafzai

-       Mulheres são espancadas e mortas por seus companheiros, muitas vezes porque não querem continuar ao lado deles: http://www.geledes.org.br/denuncias-de-violencia-contra-mulher-crescem-40-no-brasil-lideradas-pelos-casos-de-estupro-estudo/#axzz3TEm63hRT

-       Mulheres são mortas em consequência de abortos mal feitos, estatísticas apontam que aborto é a quinta causa de morte materna: http://www.pragmatismopolitico.com.br/2014/09/850-mil-mulheres-realizam-aborto-brasil-por-ano.html

-       Mulheres sofrem violência no momento mais delicado de suas vidas: o parto, uma em cada X mulheres relataram este tipo de atitude: http://bit.ly/1Gb13nl

-       Mulheres e meninas são vendidas como escravas sexuais e são as maiores vítimas de tráfico humano no mundo.

-       No mundo atual ainda em muitos países mulheres não são consideradas seres humanos com direitos iguais aos homens.

-       Mulheres ganham em média 30% menos que os homens ocupando mesmo cargo e mesma função.

-       Mulheres ocupam somente 8% dos cargos de liderança no Brasil e somente 6% em cargos de conselho. Se mantivermos este ritmo sem nenhuma política afirmativa levaremos mais de 100 anos para termos igualdade

-       Mulheres são sub representadas em cargos políticos no Brasil, ocupam somente 5%: http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2014-03/participacao-das-mulheres-na-politica-ainda-e-desafio

-       Mulheres trabalham em média 5 horas semanais a mais do que os homens (segundo estudo da OIT);

-       Mulheres ainda são retratadas de forma pejorativa na publicidade.

 

-       E por que é tão importante termos igualdade de gênero?  Por que precisamos de mais mulheres na liderança?

 

-       Mulheres são mais humanas nas relações e por conta disto tem um impacto maior na comunidade ao seu redor.

-       Mulheres pensam primeiro na família e depois em si mesmas.

-       Empresas lideradas por mulheres são mais lucrativas segundo pesquisa da EY;

-       Elas representam mais de 75% das decisões de compra de uma família, escola, carro, alimentos, viagens, entre outros e são comprados por decisão ou influência da mulher;

-       Grandes corporações já perceberam a importância deste público e realizam iniciativas para apoiar empreendedoras, veja esse exemplo: http://www.dell.com/learn/br/pt/brcorp1/press-releases/2014-11-15-dwen-berlim

 

E acima de tudo, mulheres são seres humanos com os mesmos direitos e sem restrições, mulheres podem ser tudo que elas queiram ser, sem que ninguém as rotule ou defina seu destino. Mulheres querem ser elas mesmas.

 

Por isso afirmo: não é “mimimi”. Não somos contra os homens, mas queremos atuar junto com eles para construir um mundo melhor, e assim garantirmos um futuro melhor para nossos filhos, para termos uma sociedade mais justa.

 

Mulheres podem dominar o mundo, mas o papel que elas mais gostam de exercer é o de melhora-lo!

 

 

 

 

Ana Fontes

 

Fundadora da Rede Mulher Empreendedora 

Fonte: Divulgação

OUTRAS NOTÍCIAS

2016

clear
NEWSLETTER
Receba notícias e novidades para ajudar você e seu negócio:
ASSINAR

SEGMENTOS
REALIZAÇÃO



Este portal foi desenvolvido pela Objecta internet, uma agência digital engajada com a iniciativa empreendedora e com os resultados online das pequenas empresas.