loader
V I R A D A


COLUNISTAS









clear

7 dicas para mulheres empreenderem em 2014 - via PEGN

Três empreendedoras bem-sucedidas falam o passo a passo para abrir uma empresa

A empreendedora e fundadora da Rede Mulher Empreendedora, Ana Fontes, participou da matéria 7 dicas para mulheres empreenderem em 2014, veiculada pelo site da PEGN que traz dicas para as mulheres que querem montar empresas em 2014. Confira na íntegra:

Empreendedores homens dominam o mercado. É um fato. Isto pode gerar insegurança nas mulheres que desejam empreender, mas não significa que elas não têm espaço. Segundo especialistas entrevistadas pela PEGN, se uma mulher tiver autoconfiança e determinação poderá tirar do papel uma ideia de negócio.

Três mulheres que entendem do assunto explicaram como uma mulher empreendedora pode montar a sua empresa. Confira os conselhos de Ana Fontes, fundadora da Rede Mulher Empreendedora, Elisabete Miranda, presidente da CQ fluency, e Lênia Luz, sócia do blog Empreendedorismo Rosa.

1. Para identificar uma oportunidade de negócios é preciso estar atenta às alternativas para as tarefas mais corriqueiras, pensar na possibilidade de processos ou produtos mais simples e não somente na elaboração do que ainda não existe. “O principal é que a sua ideia atenda a uma necessidade do mercado, ou seja, que as pessoas precisem ou queiram”, diz Elisabete Miranda. Ler sites, revistas e jornais pode ajudar a perceber do que as pessoas estão falando e para onde a sociedade está caminhando, a fim de desenvolver um negócio promissor. Ana Fontes sugere ferramentas tecnológicas como o Google Trends para saber das principais tendências.

2. Elabore um plano de negócio. Ele é importante para que você se arrisque menos na empreitada. Essa etapa pode assustar muitos empreendedores de primeira viagem, mas nada mais é do que pensar no mercado e definir a maneira com que sua empresa vai atuar – tudo de forma muito simples, mas eficaz. Com ferramentas como o Business Model Canvas, é possível contemplar as principais áreas de um negócio: mercado, concorrência, proposta de valor, fontes de receita e divulgação, por exemplo.

3. Encontrar apoio na fase inicial é essencial para poupar tempo útil e evitar alguns erros de iniciante. É recomendável a participação em grupos de networking entre empreendedores e competições de negócios, como a Startup Weekend e a Start It Up. Outra dica é não ter medo de contar a sua ideia para todo mundo, alguém pode ajudar a melhorá-la. “A ideia em si não tem valor, o que tem valor é a execução e não se trata de quem faz primeiro, mas de quem faz melhor”, diz Ana. No quesito financeiro, o ideal é contar com as próprias economias e, se não for possível, procurar amigos, familiares ou, em alguns casos, um financiamento no banco ou ajuda de um investidor-anjo.

4. Na hora de formar a primeira equipe, é preciso buscar profissionais qualificados, dedicados, flexíveis e criativos e, principalmente, cuja motivação principal não seja um alto salário. Um erro comum é sucumbir às dificuldades e contratar conhecidos ou parentes que não necessariamente cumpram os pré-requisitos listados acima. Não existe milagre: se a sua empresa ainda não tem condições de pagar bons salários aos talentos de que precisa, a saída é fazer com que eles abracem a sua causa. Ofereça aos profissionais um propósito e, antes de tudo, acredite nele. Só assim conseguirá convencer outras pessoas a superar desafios com você.

5. Aprenda a gerenciar o seu tempo. A técnica é essencial tanto para sua vida pessoal quanto para o desenvolvimento de sua empresa. Aceite o quanto antes e sofra menos: você não vai dar conta de tudo sozinha. Aprenda a delegar e a pedir ajuda, além de usar corretamente ferramentas como a agenda do smartphone. Um caminho é calcular quanto custa sua hora de trabalho e, a partir daí, decidir o que é importante fazer pessoalmente e o que se deve delegar. “Quando vou visitar um potencial cliente, em vez de dispor um tempo enorme pesquisando sobre ele, peço para alguém do escritório que ganha bem menos do que eu fazer a pesquisa e me entregar um relatório”, diz Elisabete. Sem foco, uma líder não consegue delegar funções e deixa de cuidar de partes vitais do negócio, como o financeiro e o networking, pontos fracos das mulheres empreendedoras.

6. Para empreender, é preciso ter jogo de cintura e saber lidar com erros: os seus e os dos outros. Cada pessoa tem seu próprio jeito de elaborar uma tarefa – isso não é ruim: você pode se surpreender positivamente e aprender um caminho mais fácil. Acredite no potencial da sua equipe, afinal, não faz sentido contratá-la se não confiar na capacidade de seus integrantes. E lembre-se: mais importante do que reparar erros, é preveni-los. Para isso, você precisa aceitar que eles farão parte do desenvolvimento de sua empresa e analisar as causas para que não aconteçam novamente.

7. Aprenda outras línguas. Se a sua empresa está ligada a turismo ou a serviço em geral, saiba falar outras línguas e certifique-se de que sua equipe também esteja preparada. “O ano que vem será um ano atípico, com muitos turistas, e qualquer habilidade voltada à receptividade deles será um diferencial”, diz Lênia Luz. Vale tudo: organização de translados, reservas em hoteis e pacotes turísticos à disposição de seus clientes e parceiros.

FONTE: http://revistapegn.globo.com/Como-comecar/noticia/2013/12/7-dicas-para-mulheres-empreenderem-em-2014.htmlempreenderem-em-2014.html

Fonte: Divulgação

Sobre o autor:
Equipe RME

OUTRAS NOTÍCIAS

2016

clear
NEWSLETTER
Receba notícias e novidades para ajudar você e seu negócio:
ASSINAR

SEGMENTOS
REALIZAÇÃO



Este portal foi desenvolvido pela Objecta internet, uma agência digital engajada com a iniciativa empreendedora e com os resultados online das pequenas empresas.